PWA é o novo desafio para a formatação baseada em SEO

  16 / setembro / 2017


Responda você mesmo: como você acessa a internet com mais frequência? Através de um computador ou smartphone? Estudos sobre comportamento mostram que os desktops não são mais os preferidos dos internautas, e esta mudança tem feito uma verdadeira revolução no mercado. Afinal, os desenvolvedores web apostam, cada vez mais, em sites que sejam feitos para os dispositivos móveis, e não apenas adaptados para atingir este público. Uma das inovações mais recentes do mercado está no Progressive Web Apps (PWA).
De uma forma bem simples, o PWA permite uma experiência de aplicativo em ambiente web. Com isso, o usuário terá todos os facilitadores disponíveis, como notificações e conteúdo personalizado, através do acesso de um site. É como se a página fosse o próprio aplicativo.

Confira algumas funcionalidades do PWA

  • Notificações
  • Ícone para acesso direto a partir da home do smartphone
  • Coleta de informações sobre comportamento do usuário em segundo plano
  • Funcionamento em modo off-line
  • Acesso à câmera, galeria, GPS e contatos

Entre as vantagens do PWA, os desenvolvedores destacam o baixo consumo de dados e a possibilidade de ter interatividade com determinado serviço sem ocupar espaço na memória interna do dispositivo.

Melhore o SEO do seu site ou loja virtual com PWA - Progressive Web Apps Click To Tweet

 

PWA exige mais

A inovação, no entanto, trouxe novos desafios para o mercado. Isso porque os desenvolvedores web agora precisam ter preocupação dupla na hora de formatar o site. Ou seja, ele deve se ater tanto com a experiência do usuário como também com o engajamento que a página deve continuar tendo para aparecer nas primeiras posições das pesquisas do Google.

O bom posicionamento nos resultados da pesquisa é o resultado de um trabalho intenso em SEO. Para quem não sabe, trata-se da sigla para Searh Enginer Otimizator, que é a otimização do conteúdo para a visualização adequada do robô do Google.

A indexação do site pelo robô, em uma página web, exige uma série de formatações em concordância com algumas regras estabelecidas pelo buscador. No caso do PWA, esta lógica deve se manter, mas com a adoção de algumas variáveis.

Isso acontece porque, embora o conteúdo apareça em um navegador, o PWA é uma experiência distinta de um site tradicional.

O Google não enxerga o PWA como um aplicativo mobile, e sim como uma programação em JavaScript. Para a melhor experiência do robô na hora de indexar o conteúdo, os seguintes cuidados devem ser adotados:

  • O Googlebot deve ter acesso a todo o conteúdo
  • Não utilize o símbolo “#” na estruturação das URL
  • Não bloqueie recursos no robots.txt
  • Evite muitos conteúdos incorporados à página PWA, principalmente os arquivos JavaScript

Descobrindo o PWA

O PWA é uma tecnologia relativamente nova, e ainda em processo de amadurecimento. Hoje ainda é considerada uma aposta que, porém, pode se tornar padrão em pouco tempo.

Entre os entusiastas do uso do PWA, é unanimidade a defesa de facilitações para o usuário e melhor performance. No caso dos aplicativos, o download exige disponibilidade de rede de dados e espaço no dispositivo. Sites adaptados para funcionar como aplicativos cumprem todas estas funções, mas sem os ônus já mencionados.

Além disso, o acesso frequente à página web é uma garantia de manutenção da marca, produto ou serviço no buscador do Google. Isso, claro, se o SEO não for negligenciado.

Ficou em dúvida? Deixe seu comentário abaixo e vamos compartilhar experiências sobre PWA e SEO.

PWA é o novo desafio para a formatação baseada em SEO


Responda você mesmo: como você acessa a internet com mais frequência? Através de um computador ou smartphone? Estudos sobre comportamento mostram que os desktops não são mais os preferidos dos internautas, e esta mudança tem feito uma verdadeira revolução no mercado. Afinal, os desenvolvedores web apostam, cada vez mais, em sites que sejam feitos para os dispositivos móveis, e não apenas adaptados para atingir este público. Uma das inovações mais recentes do mercado está no Progressive Web Apps (PWA).
De uma forma bem simples, o PWA permite uma experiência de aplicativo em ambiente web. Com isso, o usuário terá todos os facilitadores disponíveis, como notificações e conteúdo personalizado, através do acesso de um site. É como se a página fosse o próprio aplicativo.

Confira algumas funcionalidades do PWA

  • Notificações
  • Ícone para acesso direto a partir da home do smartphone
  • Coleta de informações sobre comportamento do usuário em segundo plano
  • Funcionamento em modo off-line
  • Acesso à câmera, galeria, GPS e contatos

Entre as vantagens do PWA, os desenvolvedores destacam o baixo consumo de dados e a possibilidade de ter interatividade com determinado serviço sem ocupar espaço na memória interna do dispositivo.

Melhore o SEO do seu site ou loja virtual com PWA - Progressive Web Apps Click To Tweet

 

PWA exige mais

A inovação, no entanto, trouxe novos desafios para o mercado. Isso porque os desenvolvedores web agora precisam ter preocupação dupla na hora de formatar o site. Ou seja, ele deve se ater tanto com a experiência do usuário como também com o engajamento que a página deve continuar tendo para aparecer nas primeiras posições das pesquisas do Google.

O bom posicionamento nos resultados da pesquisa é o resultado de um trabalho intenso em SEO. Para quem não sabe, trata-se da sigla para Searh Enginer Otimizator, que é a otimização do conteúdo para a visualização adequada do robô do Google.

A indexação do site pelo robô, em uma página web, exige uma série de formatações em concordância com algumas regras estabelecidas pelo buscador. No caso do PWA, esta lógica deve se manter, mas com a adoção de algumas variáveis.

Isso acontece porque, embora o conteúdo apareça em um navegador, o PWA é uma experiência distinta de um site tradicional.

O Google não enxerga o PWA como um aplicativo mobile, e sim como uma programação em JavaScript. Para a melhor experiência do robô na hora de indexar o conteúdo, os seguintes cuidados devem ser adotados:

  • O Googlebot deve ter acesso a todo o conteúdo
  • Não utilize o símbolo “#” na estruturação das URL
  • Não bloqueie recursos no robots.txt
  • Evite muitos conteúdos incorporados à página PWA, principalmente os arquivos JavaScript

Descobrindo o PWA

O PWA é uma tecnologia relativamente nova, e ainda em processo de amadurecimento. Hoje ainda é considerada uma aposta que, porém, pode se tornar padrão em pouco tempo.

Entre os entusiastas do uso do PWA, é unanimidade a defesa de facilitações para o usuário e melhor performance. No caso dos aplicativos, o download exige disponibilidade de rede de dados e espaço no dispositivo. Sites adaptados para funcionar como aplicativos cumprem todas estas funções, mas sem os ônus já mencionados.

Além disso, o acesso frequente à página web é uma garantia de manutenção da marca, produto ou serviço no buscador do Google. Isso, claro, se o SEO não for negligenciado.

Ficou em dúvida? Deixe seu comentário abaixo e vamos compartilhar experiências sobre PWA e SEO.

Obrigado pelo seu tempo!

Se você gostou e achou esse conteúdo útil para você, compartilhe-o para que outras pessoas tenham acesso.

TAGS: Google, Progressive Web Apps, PWA, SEO

Author

José Roberto

Desenvolvedor Full Stack há mais de 17 anos e mais de 400 projetos desenvolvidos, apreciador de coisas simples(Churrasco, Futebol, Família), um apaixonado pelo seu trabalho e especialista na plataforma WordPress.